Lapis Lazuli

Publicado: 19/06/2016
É considerada uma boa pedra para purificação do sangue e para reforçar o sistema imunológico.


O maior e mais típico atributo do Lápis-lazúli é seu relacionamento com a mente e com o estado mental.
É um poderoso amplificador do pensamento e ajuda no alinhamento de todos os elementos do corpo e mente e como o estado mental.

Em todas as pessoas há uma essência composta de energias física, mental e espiritual. Muitas coisas neste mundo nos impedem de despender tempo para harmonizar estas energias.


Se este impedimento dura longo período, nossas vidas podem ficar desequilibradas, o que pode provocar graves efeitos colaterais, como doenças, depressões ou dúvidas acerca da finalidade da existência.

Com Lápis-lazúli como amigo e guia, nós poderemos estar em contato maior com nossa essência e atuar mais ativamente no controle de nossa existência.

Ele é usado por muitas pessoas para aumentar o conhecimento delas mesmas e de seu meio ambiente.

O Lápis-lazúli é uma das melhores pedras para se conseguir a iluminação e para tanto deve ser utilizado com precaução e cuidado e o mais próximo possível da garganta.

Apesar de tradicionalmente usado como anel, ele deve ser colocado acima do diafragma de modo que a energia do usuário seja levada para cima.

O Lápis-lazúli tem um grande poder natural, mas que só é bom se a pessoa que o usa também for. Em resumo, ele reforça o poder inerente do indivíduo. É um intensificador e uma força niveladora.

O Lápis-lazúli tinha um grande valor na antiga Babilônia e no Egito. Na Idade Média, Albertus Magnus assegurava que ele curava a melancolia e a “febre quaterna”, aparentemente uma febre intermitente que retornava a cada três dias.

Nomeado Chesbet pelos egípcios, uma quantidade de Lápis-lazúli muitas vezes aparecia como um item importante na lista de tributos a serem pagos ao Egito pelos países sob sua influência.

Freqüentemente participava da lista de presentes enviados pela Babilônia.

Os Lápis-lazúli da Babilônia eram das mais antigas minas do mundo, as quais já estavam sendo mineradas no ano 4.000 a.C ( e ainda hoje se trabalha nelas).

Dizia-se que o sumo sacerdote do Egito usava, suspenso no pescoço, uma imagem de Mat, deus da verdade, feita de Lápis-lazúli.

Ele também era muito valorizado por sua cor azul de extraordinária beleza, que se mantinha mesmo quando a pedra era triturada e misturada com pigmento.

Nessa forma ela foi usada por séculos como maquilagem cara e luxuosa, assim como tinta para artistas renomados.

O Lápis-lazúli era uma das pedras utilizadas sobre o peitoral dos mais altos sacerdotes de Israel.


Ele tem afinidade com Touro, Aquário e Sagitário.

Utilização

Use-a ou coloque-a na garganta ou no terceiro olho. Essa pedra deve ser posicionada acima do diafragma, em algum lugar entre o esterno e o topo da cabeça.

Efeitos terapêuticos:

  • Chakras: Sexto Frontal
  • Saúde: Rejuvenescimento
  • Indicação: Problemas na Tireoide

Usos e aplicações:

  • Pedra da profissão: Advogados, Comunicadores, Dentistas, Escritor, Estudantes, Executivos, Inventores, Jornalistas, Músicos, Psicólogos e Terapeutas Alternativos.
  • Pedra do signo de: Touro, Aquário e Sagitário.
  • Tipo de energia: Espiritual

Características técnicas:

  • Ocorrência:
  • Dureza: 5 - 6
  • Composição Química: Silicato de Alumínio e Sódio com Enxofre.
  • Procedência: Rússia, Afeganistão, Chile, Itália, Estados Unidos, Egito, Oriente Médio.
Voltar